Clarice & Bianquinha

“A bicicleta é uma nova articulação social, uma ferramenta de cidadania e uma possibilidade de redescobrir lugares e pessoas.

Ela é a fundadora do Bicimanas, um grupo de mulheres que se reúne para pedalar juntas. Clarice é bastante envolvida na causa do cicloativismo e, como arquiteta e urbanista, ela possui um pensamento crítico na interação bike-cidade e acredita que é possível e urgente criar uma cidade mais segura e amistosa para mulheres de todas as idades pedalarem.

O dia em que conversamos pela primeira vez foi interessante, há um ano, envolveu uma polêmica épica do meio ciclístico em BH. Era a exposição “Sobre Quadros” da Luisa Ranieri, em que ela tinha sido modelo. Um ensaio fotográfico ousado que, envolvia bicicletas, mulheres, sensualidade e feminismo. As opiniões das pessoas foram diversas, e a fotógrafa conseguiu trazer com seu trabalho um debate bem intenso à tona, e o importante é que todos pararam para refletir. Eu vi e interpretei como belas fotos de mulheres corajosas e empodeiradas sobre seus corpos e suas regras.

Na época que realizei a seção de Clarice pro projeto, eu estava em plena correria, com a exposição já marcada, mas nosso encontro teve um ritmo de tranquilidade em meio ao caos. Foi um pedaço de uma tarde muito gostosa e especial. Agradeço a todo o carinho com que ela me recebeu, com direito a chazinho e biscoitos caseiros, deliciosos por sinal! =)

_MG_739_CORTE-2_tt

Qual a sua relação com a bicicleta?
Pra mim bicicleta é isso: viver, sentir e gostar da cidade e seus cidadãos; como ciclistas somos mais sensíveis e atentos aos problemas das ruas, gentis e cordiais com o próximo, e os laços de afeto e amizade com aquilo que nos cerca cotidianamente tornam-se muito preciosos e enriquecedores.

Desde quando pedala?
Desde 2012 quando me mudei da Pampulha pro Centro-sul tomei a decisão de depender cada vez menos de carros e transporte público. Meu deslocamento diário caiu de quase 20 para 2 km o trecho e assim foi possível ir e voltar caminhando e pedalando, mas só andava sozinha nas calçadas por receio do trânsito. Apenas em 2013 quando me juntei à Massa Crítica e a outros grupos de pedal noturno que fui pegando o ritmo e confiança de andar no meio da rua, perdendo os medos e conquistando a cidade.

_MG_7419_CORTE-1_tt

Sua faculdade te influenciou na escolha do modal?
Com as duas rodas ganhei novos olhos, tudo aquilo que aprendi na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo: as articulações entre pessoas e o espaço que as cercam, as visadas da cidade e uma mobilidade racional, tudo isso ganhou um novo sentido muito mais lógico e prazeroso. Quando saímos da bolha de metal e vidro dos carros e nos posicionamos no meio da rua podemos sentir e viver o espaço urbano de uma forma mais direta e humana, os sentidos são bombardeados pelas imagens, cheiros e sons que nos cercam. As pessoas passam a se olhar nos olhos e a se cumprimentarem com um aceno de cabeça, e o sorriso que carrego no rosto é retribuído com uma frequência muito maior do que quando passamos correndo de janelas fechadas.

_MG_7392_CORTE-1_tt

Que tipo de calçado você usa no pedal?
Curto pedalar com tênis confortáveis e de solado baixo, sem ser daqueles modelos muito esportivos de corrida. No verão uso tênis mais sequinhos, rasos e leves pois sinto muito calor nos pés, gosto bastante daqueles modelos que têm um elástico no lugar do cadarço e de meias sapatilhas frescas. Para passeios de curta distância em dias muito quentes costumo usar sandálias bem presas ao pé, dou preferência pra solas tratoradas, pois aderem melhor aos pedais do que solados lisos de rasteirinha. Já no inverno meus pés congelam, daí dou preferência para tênis de cano alto e mais acolchoados por dentro, tipo para skate. Uso bastante meia-calça e muitas vezes pra espantar o frio uso polainas.

_MG_7405_tt

O que te motivou a pedalar?
Ao meu ver a bicicleta é muito mais do que um modal de transporte autônomo, prático, limpo e silencioso. É uma nova articulação social, uma ferramenta de cidadania e uma possibilidade de redescobrir lugares e pessoas.

_MG_7410_CORTE-1_ttClarice Lacerda, 30, arquiteta e urbanistas & Bianquinha, speed.
Belo Horizonte/MG.

digitalizar0008Clarice & Bianquinha, La Niña, 2016, Desenho, Nanquim, guache e letraset, 42 x 29,7 cm.

 

* O Projeto Pés & Pedais virou calendário que embeleza sua mesa e ainda ajuda as crianças! Confira nesse post e encomende para você ou para os amigos de presente.

* As fotos e ilustrações originais resultados deste experimento artístico estão à venda e podem ser solicitadas pelo contato com a artista no e-mail bruna.caldeira@mail.com.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s